Blog Psicologia no SUAS

Seja bem-vinda/o ao Blog de encontro para quem constrói o SUAS!

CRAS – Dicas de leitura II

Seguindo a ideia de deixar os materiais de leitura e estudo mais visíveis, disponibilizo uma lista daqueles que entendo ser importante para os profissionais que já estão atuando e já leram os documentos básicos.

Imagino que vocês já leram os documentos da página Está começando no CRAS? o que ler? se não, acesse AQUI , se sim, ótimo, mas eles continuarão com vocês! isso mesmo, são documentos imprescindíveis e  requerem uma constante consulta, seja para elaborar projetos, planos de trabalho, planejar atividades mais rotineiras, seja para preparar materiais de divulgação do trabalho da PSB, porque quem  aí nunca teve que montar uma apresentação – pp- para ir dar uma palestra sobre CRAS, SUAS, PAIF, BPC, e outros assuntos? é preciso ter esses materiais sempre em mãos.

NOTA: ESSA DIVISÃO DO POST É APENAS PARA FACILITAR QUEM BUSCA POR ESSES MATERIAIS E OU ESTÃO COMEÇANDO NO CRAS (maior parte das perguntas/comentários se refere a isso)  – por isso dividi em duas categorias. acredito que quem acabou de ser contratado para atuar na PSB não vai começar lendo caderno de gestão do PETI ou NOB-RH … começaria pela Tipificação, cadernos PAIF, não é?

Vou disponibilizar materiais do SUAS em geral, mas ressalto que temos que visitar e/ou revisitar teóricos, teorias de nossa área de atuação e  porque não visitar algo que nos esclareça as atribuições dos demais colegas de trabalho e conhecer um pouquinho sobre áreas que nos favoreça e auxilie numa atuação mais eficiente.

Devo dizer também que os materiais referente ao CREAS são parte desta sugestão, porque não dá para atuar em CRAS sem saber o que se faz no CREAS! e vice-versa. Quero dizer que devemos conhecer a rede socioassistencial e a rede intersetorial do nosso Município, o que reflete positivamente nos serviços ofertados nas unidades da proteção social.

Abaixo a relação dos materiais:

é só clicar para baixar

1 – Norma Operacional Básica de Recursos Humanos do SUAS– NOB-RH/SUAS

2 – Estatuto do Idoso

3 – O CRAS que temos, o CRAS que queremos – Volume 1

4 – Orientações Técnicas Gestão do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil no SUAS

5 – Orientações Técnicas sobre o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Crianças e Adolescentes de 6 a 15 anos (prioridade para crianças e adolescentes integrantes do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil)

7 – Orientações Técnicas: Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS

8 – Orientações Técnicas: Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP) e Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua

9 – Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária

10 – Guia de Geracao de Trabalho e Renda – Nova Perspectiva na Elaboracao de Politicas- Programas e Projetos de Geracao de Trabalho e Renda – 1a edicao 2008

11 – Lei 08.742 – 07.12.1993 – LOAS consolidada (Lei 12.435_2011)

12 – LIVRO Bolsa_Familia

13 – Resolução Retifica a composição da equipe de referencia

14 – Resolução CIT 2011 – 004 – 24.05.2011 – Parametros para o registro de informações no CRAS e CREAS-1

Artigos

15 – TRABALHO COM FAMÍLIAS

16 – TRABALHO INTERDISCIPLINAR

17 –Apresentacao Painel 1.1 Lucia Afonso-2

18 – METODOLOGIA FAMILIAS

19 – acompanhamento a familias PBF MDS ( de 2006, mas é interessante – tem exemplos de dinâmicas de grupo no final)

20 – INTERVENÇÕES PSICOSSOCIAIS NA COMUNIDADE

21 – O papel do psicologo – Martin-Baro

22 – Martin-Baró

23 –PSICOLOGIA E POBREZA NO BRASIL

24 – O ELOGIO DA TRANSVERSALIDADE

25 – TECNICA GRUPO OPERATIVO

26 – processo grupal martinbaro

27 – crepop psi

Por hoje é isso pessoal!  a maioria está disponível no site do MDS, onde tem mais materiais não disponibilizados aqui – endereço do site: http://www.mds.gov.br/ e os demais são materiais do meu arquivo.

Ps. Vou atualizar a página com indicações de sites e blogs afins… sugestões de LIVROS vocês podem conferir abaixo

Sugestão livros 1

Sugestão Livros 2

Sugestão livros 3

Sugestão 4

Participantes grupo de famílias CRAS Moisés Reis – Eunápolis/BA

  Boa leitura

Espero que seja útil!

deixe sua sugestão e quais leituras vocês consideram imprescindíveis para o trabalho no SUAS!

41 comentários em “CRAS – Dicas de leitura II

  1. Rozana bom dia, primeiramente parabéns pelo blog, é uma fonte de conhecimento a qual recorro sempre q preciso. Eu gostaria de uma informação a respeito do acompanhamento familiar, qual o numero máximo de famílias podem ser inseridas no acompanhamento por período, em um Cras porte 1?

    Curtir

  2. Bom dia Rozana. primeiramente quero parabeniza-la pelo blog, sua disponibilidade em compartilhar conhecimentos por si só já é a grande estrela do lugar. Parabéns, você é uma profissional digna de servir de exemplo para todos os profissionais.
    sou assistente social, trabalho na secretaria de planejamento ( departamento de projetos para a Assistência social) do meu município no oeste do estado do Pará, município de pequeno porte. Foi em busca de orientações fundamentadas que ajudasse no meu trabalho que encontrei seu blog. Amei!!!! Que Deus te abençoe a cada dia. Certamente estarei por aqui sempre que puder, aprendo muito com você. obrigada.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Ana,
      Mil vezes gratidão por você ter reservado um tempinho do seu dia para me escrever esse retorno tão cheio de carinho e afeto. Saiba que é pensando em colegas como você que me dedico a esse espaço!
      Volte sempre mesmo, esse espaço é nosso😍
      Um abraço

      Curtir

  3. Boa noite Rozana, sou estudante de Serviço Social e estou no sexto semestre, preciso elaborar meu projeto de intervenção nesse período, com a realidade do meu campo de estágio, pensei em fazer em relação a Busca Ativa, então se possível tem como me indicar algum material ou sugestão de livro para que eu possa fundamentar o meu projeto.

    Agradeço desde já.

    Arilma Melo

    Curtido por 1 pessoa

  4. OBRIGADA!! Iniciei a leitura sobre CRAS e estou encantada com suas dicas, já salvei sua pagina em meus favoritos, imprimi diversos artigos, fiz a lista de livros para comprar…

    Busco primeiro entender o funcionamento do CRAS e logo em seguida pensar sobre a atuação do psicólogo neste campo.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Bom dia Rosana,
    Sou Psicóloga e trabalho no CRAS em um município de Pequeno Porte I.
    Normalmente, o juiz da região emite solicitações de relatórios psicossociais sobre determinado usuário/família para a equipe técnica do CRAS. Estive em uma palestra sua no CRP – Salvador, e me recordo de uma fala sobre uma resolução que nos isenta da obrigatoriedade da construção deste tipo de documento, uma vez que não somos peritos técnicos para avaliação, e esta prática não compõe as nossas atribuições técnicas no CRAS. Você poderia me informar acerca de qual resolução seria esta?

    Curtir

  6. Olá Rozana, sou psicóloga e atuo no Cras de Iraquara-BA. Desde que comecei o meu trabalho aqui venho seguindo o seu blog, que sempre me (nos) ajuda muito. Portanto, primeiramente parabéns!!! Em segundo lugar, gostaria de saber se o MDS já disponibilizou alguma orientação sobre o SCFV após o reordenamento, além do caderno “concepção de convivência e fortalecimento de vínculos”. Pesquisei no site, mas não encontrei nada muito recente. De qualquer modo, achei melhor me certificar com você. Caso eles ainda não tenham disponibilizado, você teria alguma sugestão de material que sirva como orientação para os orientadores sociais que trabalharão com grupos de crianças e adolescentes? Se sim, peço, encarecidamente, que me passe.
    Desde já, muito abrigada.
    Abraços. Ruana

    Curtir

  7. Bom Dia Rozana!
    Sou Assistente Social do CRAS do meu município e gosto de mais de seu Blog, sempre com postagens magnificas pra nossa área…curti muito a Dinâmica vou aplica-la na minha equipe…Você está de parabéns.

    Curtir

  8. Amei o seu blog, muito bom mesmo. Obrigada pela sua disponibilidade de servir e de compartilhar o seu conhecimento a respeito do assunto. Pessoas como você é que fazem toda diferença em um mundo tão individualista e egoísta. Obrigada mesmo.

    Curtir

  9. Olá Rozana Boa Tarde, gostaria de enviar uma pergunta para que eu, você e outros profissionais aqui possamos refletir sobre o assunto. No Cras recebemos muitas denuncias de maus tratos contra a pessoa idosa. Aqui na minha cidade por exemplo tem o PSF e o CRAS não temos outros orgãos que possam nos ajudar na questão. Bem, desta forma,eu psicóloga, juntamente com a assistente social e um enfermeiro ou outros profissionais quando necessário realizamos a visita para identificação da demanda. Uma vez identificada fazemos orientações a família para que tome providencias ou em ultimo caso levamos para um asilo em cidades próximas com consentimento da pessoa e da família onde possa receber todo o suporte necessário, mas não gosto muito dessa decisão. Nos casos em que a família não demostra interesse em mudanças e a pessoa se recusa a ir para um asilo como proceder??? Me sinto muito impotente nessa questão para que a situação não se prenda somente aos relatórios e/ou encaminhamentos.

    Curtir

    1. Oi Jacyara, Obrigada pela seu comentário.
      O Município que não possui CREAS, onde tem o serviço destinado aos idosos que sofrem violência, a Secretaria deve manter uma equipe de proteção especial até que seja providenciado a unidade para ofertar deste serviço. Esta “política” de asilo já foi revista e hoje a PNAS – Tipificação dos Serviços socioassistenciais orienta sobre o Acolhimento institucional, o qual é feito provisoriamente. O trabalho da equipe da Proteção Social Especial é identificar os problemas que levam ou levaram a violência e como é a dinâmica familiar, fazendo assim um acompanhamento para que a família se responsabilize pelo idoso – família que pode ser filhos, irmãos ou alguém muito próximo e que tenha laços com este idoso. Assim, somente na impossibilidade do idoso conviver com a família é que se insere o idoso numa instituição de longa permanência – ILP.
      Veja mais em: http://www.mds.gov.br/falemds/perguntas-frequentes/assistencia-social/pse-protecao-social-especial/servicos-de-alta-complexidade/servico-de-acolhimento-institucional
      e acesse a Tipificação neste Post, ou no site MDS https://craspsicologia.wordpress.com/leitura-cras-e-creas/papel-do-psicologo-no-cras/

      Um abraço!

      Curtir

  10. Oi Rozana, sou Secretária de Assistencia social no cras a 6 meses e tenho uma psicologa que atende no dia todo entre 1 a 2 pessoas ;ou as vezes nenhum e coloca a culpa no as pacientes que nao vem, ,acho pouco e ela me disse que no cargo dela no cras não é para pacientes que vem de outras secretarias, tipo saude e educacao e. me pede pra contratar mais outra psicologa,, pois está sobrecarregada ao questiona-la ela me disse que não é pra atender individualmente e sim em grupo, mas nen assim ele faz, como é concursada me vejo de mão atadas. Meu municipio tem apenas 5.000 habitantes e ela é a unica psicologa e não quer atender a comunidade, nem mesmo criancas do adolescer, projetos do cras
    Gostaria de fazer a coisa certa só isso,.Voce pode me ajudar

    Curtir

    1. Olá Luciane, Seja bem-vinda e obrigada pela participação!
      A profissional a qual você se refere, é da equipe do CRAS? o trabalho do CRAS desenvolve obrigatoriamente o PAIF – Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família, assim, essa profissional, deverá executar as atribuições elencadas para o profissional de nível superior que compõe a equipe – obrigatoriamente a equipe é formada por assistente social e psicólogo. Cada política pública tem uma sua especificidade e objetivos, assim, a assistência social não pode fazer o papel da saúde, ofertando atendimento na área de saúde mental por exemplo! espero ter colaborado e aguardo seu retorno para continuarmos a conversa!
      Um abraço

      Curtir

  11. Oi Rosana..gosto muito do seu blog e gostaria de saber se voce tem algum material sobre o o reordenamento dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.
    Parabéns pelo seu trabalho

    Curtir

  12. Parabéns pelo blog! É de extrema importância para a categoria. Gostaria de saber sobre a carga horária do cras para os psicologos. Obrigada!

    Curtir

    1. Oi Paula! obrigada!
      A carga horária será de acordo com o contrato – ou concurso realizado pelo Município! o CRAS tem que funcionar 40 horas semanais, assim, a maioria dos contratos são 40h, mas têm alguns Cras que montam 2 equipes, cada uma com 20h. Mas isso é muito relativo e muda muito de uma região para outra! um abraço

      Curtir

  13. Oi Rosana, gostaria de parabenizá-la pelo excelente trabalho que prestas a todos nós que atuamos nos programas sociais do governo como o CRAS e aos futuros profissionais que ainda irão atuar. Sou psicóloga e mesmo trabalhando já ha bastante tempo no CRAS em diversos municípios, tenho edificuldades pois a maioria destes profissionais nao estão costumados a trabalharem em gupos ou equipes e assim nosso acesso a informação fica mais restrito a procura nas livrarias , MDS e sites como o seu. Obrigada suas boas idéias são sempre bem vindas. Abraço fraterno.
    Tania

    Curtir

    1. Obrigada Tânia, muito contente ao ler seu comentário! luto todos os dias para manter minha dedicação e motivação ( que pra mim é continuar vendo razão e sentido no meu trabalho) e este Blog é meu companheiro e a maneira que encontrei para manter um nível satisfatório de comprometimento com o trabalho. Já tive e tenho momentos dificeis no trabalho, provenientes de vários atravessamentos que impedem um trabalho mais qualificado e mais coeso, mas, ainda, o Blog me ajuda a permanecer interessada neste fazer. Por isso, é muito bom e animador ler comentários como seu! Obrigada e que tenhamos força e coragem para prosseguirmos, mesmo com tantos desafios!

      Curtir

  14. Olá, Rozana, sempre que possível acompanho teu blog e quando encontro algo interessante para atuação Psi no SUAS lembro logo daqui. A maior parte do material já se encontra no blog. Trago uma sugestão de material sobre boas práticas para garantir a convivência familiar e comunitária a crianças e adolescentes. É direcionado (contextualizado) para o Rio Grande do Sul, pois foi produzido por equipe de pesquisadores de lá. Mas acredito que é possível realizar as adaptações necessárias para outros contextos. Os links estãio abaixo (arquivo em pdf):

    http://www.msmidia.com/ceprua/arquivos/boas_praticas.pdf ou
    http://www.ceprua.org/

    Abraços e parabéns pelo blog.

    Curtir

    1. Oi Lívia, Sim, gosto muito de suas participações e fico muito contente em saber que você continua dando sentido ao Blog! obrigada mesmo!
      e meus agradecimentos pela valiosa colaboração! vou ler e depois vou indicar num post aqui!!
      Obrigada!

      Curtir

      1. Oi Rozana parabéns pelo trabalho! Estou iniciando um trabalho no Cras e gostaria de conhecer projetos com crianças e adolescentes, se puder me enviar algum projeto fico grata. um abraço

        Curtir

        1. Oi Rosalia, obrigada pelo carinho! eu não tenho “projetos” para este público. Mas quando você fala projeto é o quê? ideias de atividades? ou como é formatado os serviços? postarei em breve, um material socioeducativo sobre trabalho com adolescentes – para saber quando for publicado cadastre seu e-mail aqui no blog (canto direito da página) assim vocÊ ficará sabendo via e-mail, sobre esta e outras postagens!
          abços

          Curtir

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: