Em uma consulta rápida acerca de Concurso Público ou Processo Seletivo Simplificado para psicólogos, mais especificamente na área de Assistência Social encontrei equívocos acerca das atribuições do Psicólogo no SUAS e dos técnicos em geral: encontrei salário de 1.600,00 para 40 horas trabalhadas e constatei que estamos longe de consolidar o Suas sem a implantação  da Gestão do Trabalho. Somos uma política pública jovem, mas envelhecida como Benjamim Button!

A implantação do SUAS tem o desafio de romper e apagar os ranços de uma política pautada na boa vontade e bom coração, que estendia a mão para os carentes, mas não a qualquer pobre, tinha que ser o pobre merecedor, digno e capaz de pagar com gratidão e lealdade política. Essa bondade e solidariedade reforçava a tola teoria de que aos pobres, o pouco é muito.

Precisamos ter coragem para desfazer esses equívocos impregnados na história da assistência social, para construirmos uma política capaz de oferecer ao cidadão que a ela recorrer, um serviço digno, que contemple a grandeza da história de vida de cada um, independente do nicho que ele ocupe na ordem capitalista.

Voltando a questão dos equívocos encontrados nos Editais do Concurso Público/Processos Seletivos, ilustro o texto com os trechos mais evidentes que encontrei, o objetivo é discutir e provocar a reflexão quanto a responsabilidade de todos os envolvidos na política de assistência social para promover a sua qualificação. Se uma empresa é contratada para prestar os serviços de seleção da equipe de trabalho, essa empresa tem a obrigação de estar alinhada com o que preconiza a política de Assistência Social, e a comissão técnica de cada prefeitura precisa se certificar disso. Mas temos outro problema, os cargos e as atribuições disponibilizados pelo Município, através do quadro de vagas, irão refletir o entendimento do gestor quanto as políticas públicas implantadas e a serem implementadas. Portanto, se não há Plano de Cargos, Carreira e Salários, o Município não estudou e não tem traçado o organograma de cada setor de serviços, programas, projetos e etc. E especificamente na área aqui tratada, quantos Municípios já criaram e aprovaram a Política Municipal de Assistência Social?

Vejam os exemplos de equívocos gritantes quanto ao entendimento acerca das atribuições de um técnico social do SUAS com formação em Psicologia e em Serviço Social.

psicologo geral
Este conteúdo é comum para psicólogos que irão atuar na Saúde, Educação e Assistência Social
Psicólogo CRAS
Aqui é uma prova para atuar na Assistência Social, mas o conteúdo da prova não reflete em nada os conhecimentos necessários para essa atuação. O conteúdo contempla bem pouco para o técnico com formação em Serviço Social, mas mesmo assim, insignificante diante do vasto conteúdo da PNAS- SUAS.

 

Como foi mencionado, eis o exemplo do salário de 1.600, 00 para trabalhar 40 horas. Como que um profissional poderá se dedicar a uma carreira, contando até que já tenha o PCCS, com um salário destes? 

concurso

A intenção é expor um problema que deverá ser combatido por nós profissionais, gestores, terceiro setor, instituições conveniadas, setor privado, conselhos de direitos, conselhos de classe e sindicatos. Se nada for feito,  a assistência social corre o risco de nascer e morrer velha, diferente do caso do Benjamim Button

  • Os trechos dos Editais publicados podem ser encontrados no site do PCI Concursos, não citei as prefeituras e empresas porque minha intenção não é expô-las, mas é propor a divisão da responsabilidade em prol de uma política digna para qualquer cidadão.
  • O filme mencionado é o Curioso Caso de Benjamim Button – para ler a Sinpose e a ficha técnica, clique AQUI

Voltaremos a falar sobre os desdobramentos deste assunto por aqui!

Seus comentários e sugestões são sempre bem-vindos!

Anúncios