Sempre que demoro responder aos comentários, sinto-me na obrigação de postar algo a respeito, e só me vem a questão da importância que os mesmos têm para o blog, ou melhor pra mim. Já falei aqui do trabalho que é manter o blog – e por isso sei que vocês não esperam um retorno imediato. Mas, atualmente, o que tem pesado mais são os frutos de minhas reflexões acerca do trabalho na proteção social – CRAS – [tema dos futuros posts].

Os comentários, o interesse de vocês em fazer contato e manifestar o anseio frente a um fazer que tem roupagem de inédito – o que foi atribuído ao ser nomeado, “legitimado” pelo Governo e atráves de Leis, Resoluções… o que provocou um aumento significativo e histórico no campo de atuação da psicologia, são pra mim elementos de aprendizagem, ideia de alcance e relevância do blog e sobretudo me mantém interessada nesta área, com a crença de uma atuação pautada no compromisso social e na certeza de que temos sim com o que contribuir para desmantelar discursos equivocados acerca da população vulnerável (decorrente de vários fatores) pois, acredito que a mudança começa quando questionamos a visão de sujeito que a política e o sistema capitalista pregam.

E qual visão nos interessa para promovermos a reverção de algum quadro de exclusão e situação vulnerável? Considerar que o ser humano é imprevisível e que não responde a uma lógica de bem estar ideal, é um bom começo!

 “Só se é curioso na proporção de quanto se é instruído” (Rousseau)

Participantes Projeto RET: Recolher e Transformar e grupo de Idosos – CRAS I – Eunápolis/BA

Enfim, agradeço a todos profissionais que participam do blog e deixam suas experiências, propiciando a instrução e garantindo nossa eterna curiosidade!

Anúncios