9 Comentários

Orientações Técnicas Sobre o PAIF – Vol. 2 Trabalho Social com Famílias


Olá Leitores,

Trago boas novas! em especial àqueles que me acompanmham há um tempo e participaram com comentários e perguntas!  enfim, o Caderno de ORIENTAÇÕES TÉCNICAS SOBRE O PAIF: Vol. 2   Trabalho Social com Famílias do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família – PAIF.

Será que nossos problemas acabaram? :) Gostei do caderno, é simples, de fácil leitura e traz a formalização de orientações e informações sobre o PAIF e principalmente sobre o trabalho com famílias. Quem conhece e estudou os documentos: Diretrizes para o Acompanhamento Familiar no âmbito do PAIF (Priscilla Maia de Andrade – mesma técnica que elaborou este acima) e O CRAS que Temos e o CRAS queremos, terá facilidade na leitura e compreensão, além de perceber que não tem tanta coisa nova assim. Repito, tanto o Vol. 1 quanto o Vol. 2 trazem orientações pontuais e claras, contudo nada que muito novo, mas que se torna indispensável, tendo em vista os equívocos das ações do PAIF nos CRAS e das dificuldades de muitos profissionais em atuar com as famílias ( e um dos motivos sendo falta de referecial e especificações do serviço)

Como recebo várias perguntas com dúvidas das atribuições dos profissionais dos CRAS e acerca do recebimento de demandas de outros setores, abaixo um trecho que não deixa dúvida daquilo que NÃO É NOSSO PAPEL.  O que mais gostei foi que isso corrobora meu discurso de que os serviços do CRAS NÃO TÊM E NÃO DEVEM TER CARÁTER COMPENSÁTÓRIO!

[Não posso esconder minha satisfação em perceber que o PAIF aqui em Eunápolis, está no caminho certo]

Boa leitura!

  Não constitui atribuição e competência das equipes de referência dos CRAS:

a)  Assumir o papel e/ou funções de equipes interprofissionais de outros atores da rede, como, por exemplo, da segurança pública (delegacias  especializadas, unidades do sistema prisional etc), órgãos de defesa e responsabilização (Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e Conselho Tutelar) ou de outras Políticas (saúde mental etc);

b)  Acompanhar e participar de oitiva de pessoa em processo judicial;

c)  Realizar terapia ou psicoterapia com famílias e/ou indivíduos  -  competência de profissionais da política pública de saúde;

d)  Elaborar parecer, laudo e/ou perícia social para compor processos judiciais, pois essa elaboração exige fundamentação e qualidade técnico-científica especializada  – competência de Assistentes Sociais do Poder Judiciário;

e)  Elaborar Laudo Social, para fins de requerimento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) – essa competência é do Serviço Social do INSS, conforme Portaria Conjunta MDS/INSS nº 1, de 29 de maio de 2009, que regulamenta o art. 16, § 3º, do Decreto nº 6.214, de 26 de setembro de 2007;

f)  Atender casos de “indisciplina”, dificuldades de adaptação escolar, entre outros, encaminhados pela rede de ensino. No que concerne à situação escolar, compete às equipes da assistência social o acompanhamento familiar, no âmbito do Programa Bolsa Família (PBF), quando do descumprimento das condicionalidades de educação; acompanhar beneficiários do Benefício de Prestação Continuada e suas famílias, em especial do Programa BPC na Escola.

Para BAIXAR o CADERNO clique Orientacoes Tecnicas sobre o PAIF – Trabalho Social com Familias ou  AQUI

Fonte: MDS http://www.mds.gov.br/assistenciasocial/protecaobasica

About these ads

9 comentários em “Orientações Técnicas Sobre o PAIF – Vol. 2 Trabalho Social com Famílias

  1. gostaria de conhecer algumas técnicas de insentivo para trazer essas familias , como trabalhar ? obrigado

    Curtir

  2. Bom dia Rozana! Gostaria de saber como proceder quando um juiz pede um parecer, laudo e/ou perícia social para compor processos judiciais? Existe alguma resolução que no assegure? Como responder isso em um oficio?

    Obrigada, Yara

    Curtir

    • Oi Yara, este documento publicado diz algo sobre isso, vou pesquisar em qual página, mas resolução eu desconheço, acredito que não tem. Mas o que precisa ser feito é a Gestão informar ao Juiz quais são as competências das equipes da proteção social ( básica e especial) tanto através de ofício quanto através de reuniões. E os técnicos por sua vez podem responder os ofícios informando sobre o código de ética, onde não podemos realizar trabalhos onde não temos competência técnica para o mesmo. Ora, somos técnicos sociais e como muita luta para que nosso trabalho seja da melhor qualidade e como responder como peritos judiciais?
      Essa é uma luta de muitos colegas, esperamos um posicionamento mais enfático e prático dos Conselhos de Classe, Sindicatos e Gestão do SUAS ( das três esferas)

      Um abraço

      Curtir

  3. Gostaria de saber o que faz o assistente social na escola, suas atribuições? Tem site ou texto sobre isso? Agradecida.

    Curtir

  4. Gostaria de ter algumas sugestões para trabalhar com essas familias do PAIF, principalmente Técnica para motivá-las a participar das reuniões.
    Obrigada Alda Maria

    Curtir

    • Oi Alda! bem-vinda.
      Acredito que a estratégia para aumentar a adesão das famílias tem que contar com busca ativa direta, e encontros ( tirar a ideia de reuniões, pois isso é marcado como algo chato e pouco produtivo) com objetivos claros e que as famílias saibam o que vão encontrar e que o objetivo seja cumprido. Outro ponto a ser observado, é que o período/horário deve ser acordado junto com os particpantes.
      Um abraço e bom trabalho!

      Curtir

  5. Eu gostaria de saber como e com o que (materiais de consumo) pode ser gasto os recursos que entram no CRAS?

    Curtir

Deixe seu comentário, sugestão, dúvida, crítica...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Conselho Regional de Psicologia 16ª Região/ES

(27) 3324-2806 / crp16@crp16.org.br

{RCRISTO - Tecnologia e Informação}

Aqui você encontrará novidades sobre tecnologia, informática, filosofia, ciências e atualidades.

Cidadania & Cultura

Economia, Política, Sociedade, Comportamentos, Arte, Cinema, Livros, Música, Futebol, Humor e Internet

Palavras de Cinema

pensamentos e ideias sobre sétima arte, por um amante de longa data

OBSERVATÓRIO - CREPOP 03 BA

Conselho Regional de Psicologia BA

CNAS - Conselho Nacional de Assitência Social

CNAS - Conselho Nacional de Assistência Social

Ensaios de Gênero

Três garotos feministas ensaiando política, educação, feminismo e coisas do gênero...

Transdiciplinaridade na Escola

Blog sobre Transdisciplinaridade na Escola. Uma iniciativa do Portal do Professor.

Seminário FEMINISMOS E MASCULINIDADES:

PERCURSOS, PROPOSTAS E DESAFIOS PARA A EQUIDADE DE GÊNERO

Estúdio "A"

Encadernação Artesanal e Ideias

Professor de Sociologia

Educação Escolar e Social

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 8.560 outros seguidores